Buscar
  • Lucio Aleixo Filho

5 Dicas Para Melhorar o Fluxo de Caixa de sua empresa

O cenário político-econômico brasileiro não se apresenta nada favorável para pequenas e médias empresas. Mesmo assim, o povo “verde e amarelo” é considerado o mais empreendedor do G20, que engloba as vinte maiores economias do planeta. Essa descoberta, divulgada em pesquisa realizada pela Global Entrepreunership Monitor, é surpreendente, uma vez que a taxa de mortalidade de empresas brasileiras em seus dois primeiros anos de existência é alta, de acordo com estudo feito pelo Sebrae.

Todos os dias, muitos empreendedores iniciam o sonho de trabalharem por conta própria, iniciando empreendimentos muitas vezes audaciosos e inovadores. Por outro lado, uma parcela muito grande dessas empresas morrem muito antes de atingirem sua maturidade financeira, e os antes empresários sonhadores tentam arduamente encontrar motivos por terem falhado. E a resposta para isso é muitas vezes simples: má gestão de fluxo de caixa.

A gestão eficiente do fluxo de caixa pode ser comparada ao coração de um ser humano. O balanço de entrada e saída de recursos precisa ser eficientemente ajustada para que o restante do conjunto não seja prejudicado. Dito isso, uma lição clara que qualquer empreendedor precisa aprender é que nenhum negócio consegue sobreviver por muito tempo se a saída de recursos excede a entrada por períodos longos.

O risco aumenta se, além do controle de entrada e saída de recursos, o empreendedor não consegue prever essa falta de balanço com antecedência, o que consequentemente irá afetar todos os outros setores da empresa. O objetivo número 1 de qualquer empresa deve ser sempre administrar seu fluxo de caixa de forma eficiente e proativa. As simples dicas a seguir podem ajudar não só “marinheiros de primeira viagem”, como também empreendedores experientes de mercado:

1) Não foque somente em lucro líquido, mas também em fluxo de caixa

Uma projeção futura de obter lucro de nada adianta se o negócio não conseguir atingir esse “futuro”. A gestão de fluxo de caixa precisa começar antes mesmo do primeiro dia de funcionamento da empresa, permitindo um amadurecimento consistente até que os lucros apareçam.

2) Crie um fluxo de caixa eficiente com ajuda de um sistema informatizado

O mercado brasileiro é altamente baseado em crédito. Setores como o varejo muitas vezes necessitam oferecer longos parcelamentos para seus clientes, e, consequentemente, as compras junto a seus fornecedores são também parceladas. Ao adicionarmos outros elementos como sazonalidade e inadimplência, o resultado dessa equação é muitas vezes um labirinto sem fim. Invista sim em um software de gestão que te permita apresentar de forma clara e precisa uma previsão de fluxo de caixa de sua empresa.

3) Pague suas contas no último dia possível, mas nunca atrase o seu pagamento

Apesar de não estarmos mais em épocas de hiper-inflação, ainda sim vivemos em um país com uma das maiores taxas de juros do mundo. Além disso, ainda sofremos com altíssimas taxas de juros de cheque especial. A consequência disso é simples: cada dia conta, e muito, dentro do fluxo financeiro de uma empresa. O pagamento antecipado de qualquer obrigação financeira pode significar, ao longo de um ano, um custo invisível e alto para uma empresa. Procure sempre aplicar recursos disponíveis a todo momento em fundos que permitem resgate rápido e pague sempre suas obrigações no dia do vencimento, nunca antes. Só tenha cuidado para não atrasar nenhum pagamento a fim de se evitar multas e cobranças de juros desnecessários.

4) Procure fornecedores que oferecem descontos em pagamentos a vista

Frequentemente encontramos fornecedores que oferecem descontos expressivos quando o pagamento é feito a vista. Nesses casos, empresas que possuem um fluxo de caixa otimizado, com um capital de giro adequado e disponível, podem se beneficiar muito desses descontos. O empresário precisa somente se atentar ao giro da mercadoria comprada, para que essas vantagens de pagamento antecipado não se diluam em um custo extra em se manter produtos em estoque por longos períodos.

5) Mantenha sempre um plano de emergência

O crédito muitas vezes só é bom quando você não precisa utilizá-lo de forma recorrente. Mantenha sempre um bom relacionamento com bancos para que, quando necessário, você possa recorrer a linhas de crédito para suprir eventuais deficiências em seu fluxo de caixa. Muitas vezes, vale sim a pena recorrer a linhas de crédito para pagamentos de fornecedores que oferecem vantagens para pagamentos a vista, mas use muita cautela nesses momentos.

Lucio Aleixo Filho atua como Diretor de Operações da Anewton Franchising. Formado em Administração Financeira pela Mercer University (EUA) e Comércio Exterior pela University of Warwick (Inglaterra). Mestre em Administração de Empresas pela University of Saint Mary (EUA)

7 visualizações

Rua Antônio de Albuquerque, 606 - Sala 404 - Savassi

Belo Horizonte - MG

30.112-011

Tel. +55-31-99817.9199

 

  • Facebook Social Icon
  • Instagram
  • YouTube
  • LinkedIn ícone social
  • Twitter ícone social